Município

Recepção.

sábado, 1 de agosto de 2015

Julho tem precipitações quase 250% acima da média histórica

Mesmo com esse registro hídrico, as chuvas desse ano resultaram num aporte suficiente à demanda

Pode parecer estranho, mas as chuvas registradas no mês de julho no Ceará foram muito superiores neste ano em relação a maio e junho, historicamente, período onde tem ocorrido o maior volume de descarga pluviométrica no Estado. Os dados, da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) ainda não foram fechados. Até a publicação desta edição restava ainda colher informações de alguns postos meteorológicos do Interior, mas o desvio positivo em relação à média histórica de julho foi de 245,5%.

Entretanto, conforme o meteorologista da Funceme, Leandro Valente, esses números não são significativos para o aporte hídrico no Ceará. Choveu apenas 53,2 milímetros nestes 30 dias, faltando apenas mais um dia para encerrar o mês. Os dados são expressivos somente em relação ao monitoramento do órgão oficial de Meteorologia do Estado. Desde o início da apuração desses dados, em 1974, as chuvas de julho só foram menores do que no ano de 1985, quando foram registrados 59mm. Os outros três anos com os maiores índices de chuvas em julho foram 1977, com 47mm, 1989, com 49,6mm, e 2011, com 50,2mm.



Saldo Baixo

Apesar de essas precipitações serem muito bem vindas, as normais do período, quando comparadas com as dos meses de estação chuvosas historicamente são mais baixas e alcançam apenas 37,5 mm, 15,4 mm, 4,9 mm, em junho, julho e agosto, respectivamente. Mesmo assim, a atuação do fenômeno meteorológico, conhecido com Ondas de Leste, atuou mais no Estado neste ano, entre os dias 03 e 06 passados, quando ocorreram as maiores chuvas de julho, mais precisamente no dia 05, onde Beberibe recebeu 170 mm, Solonópole 95 mm e Cascavel 93 mm.

Na quadra chuvosa, segundo os números da Funceme, Maio foi o mês mais crítico, com -56,6% de desvio, seguido de abril, -40,4% e fevereiro -23,9%. No mês seguinte, março, a precipitação se aproximou da normal climatológica, todavia, conforme os meteorologistas, o desvio percentual permaneceu negativo, -13,1%.

Três períodos

No Ceará, o período chuvoso é dividido em três fases: a pré-estação, no mês de janeiro, onde o sistema atuante é os dos Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis (VCAN), formado por sistema de circulação horária de baixa pressão atmosférica, a aproximadamente 12 km de altura, o qual se forma na alta troposfera; a estação chuvosa, de fevereiro a maio, com a atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) uma banda de nuvens, próxima à linha do Equador, formada pelo encontro dos ventes de nordeste do hemisfério Norte e de sudeste do hemisfério Sul, e a pós-estação, nos mês de junho e julho, provocada pelas Ondas de Leste, perturbações atmosféricas com formação no continente africano que percorrem o Atlântico, chegando ao litoral do Nordeste.

Situação hídrica

Segundo o último Boletim da Situação Hídrica do Ceará, emitido pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) nesta sexta-feira, os 153 açudes monitorados pela Companhia apresentam volume de 3,43 bilhões de metros cúbicos, o equivalente a 18,25% da capacidade total, 18,78 bilhões m³. Atualmente, o volume de água das bacias está distribuído: Litoral (41,55%), Alto Jaguaribe (34,87%), Coreaú (33,80%), Metropolitanas (32,03%), Serra da Ibiapaba (23,49%), Médio Jaguaribe (16,67%), Salgado (21,77%), Acaraú (12,82%), Banabuiú (4,59%), Sertões de Crateús (3,11%), Curu (4,36%) e Baixo Jaguaribe (1,02%).

Nos últimos sete dias destaca-se o aporte nos açudes: Acarape do Meio (0,2 milhões m³), Mundaú (0,1 milhões m³), Fogareiro (0,05 milhões m³), Patu (0,05 milhões m³) e Amarany (0,01 milhões m³). Ainda ontem foram registrados aportes em três açudes, destacando-se o Açude Curral Velho. Sangraram, neste ano, somente Batalhão, Caldeirões, Gameleira, Gavião e Tijuquinha. Neste ano foi registrado um aporte total de 556,7 milhões m³.

Mais informações:

Funceme – Avenida Rui Barbosa, 1246 – Fortaleza – Telefone (85) 3101-1088

Cogerh – Rua Adualdo Batista, 1550 – Fortaleza – Telefone (85) 3218-7020

Alex Pimentel / Colaborador/ Diário do Nordeste

Mais 2.021 casos de dengue são registrados no Ceará

Os dados divulgados pela Sesa nesta sexta-feira, 31, mostram que 1.043 novos casos foram registrados só em Fortaleza

Em uma semana, mais 2.021 casos de dengue são confirmados no Ceará em 2015. Em Fortaleza, 1.043 novos casos foram registrados. Este ano, ao todo já foram confirmados 37.601 casos da doença, conforme dados divulgados pelo boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), nesta sexta-feira, 31.
Os dados mostram que o número de casos suspeitos chega a 82.721. Em comparação com 2014, houve aumento de 166% das notificações da doença no Ceará.
Cinco pessoas já morreram este ano por conta da doença, chegando a 34 o número de óbitos registrados no Estado. As mortes ocorreram nos municípios de Maracanaú, Beberibe, Aracati, Limoeiro do Norte e Barbalha. Outras 35 mortes permanecem em investigação.
Dos casos notificados, continua predominando a faixa etária de 20 a 29 anos. Conforme os dados da Sesa, foram registrados 692 casos graves. O mês de abril apresenta o maior número de mortes, enquanto o mês de maio revela o maior número de casos graves confirmados.
Sarampo
Desde a última semana, nenhum novo caso de sarampo foi registrado no Ceará, de acordo com dados da Sesa. O número de notificações da doença permanece em 164 casos confirmados em 2015.
O município com maior incidência da doença é Massapê, seguido por Uruburetama e Forquilha. Fortaleza possui índice de 15,6 casos por 100 mil habitantes.
Do O POVO Online

120 municípios do Ceará paralisaram as atividades nesta sexta por recursos

Durante a paralisação, só emergência hospitalar funciona normalmente. Segundo a Aprece, maioria das prefeituras não consegue pagar salários.

Municípios reivindicam aumento no repasse de recursos
(Foto: Aprece/Divulgação)
Cerca de 120 dos 184 municípios cearenses paralisaram as atividades nesta sexta-feira (31)  como forma de denunciar a atual situação de crise financeira das administrações municipais devido à seca e políticas nacionais e estaduais que impactam sobre a economia municipal. Durante todo o dia não haverá expediente interno; somente a emergência hospitalar funcionará normalmente.

De acordo com a Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), a crise é o reflexo do desequilíbrio das finanças municipais e evidencia que a receita recolhida hoje não satisfaz ao acréscimo de responsabilidades repassadas aos municípios pela União. “O movimento não é dos prefeitos e sim dos municípios”, enfatizou o presidente interino da Aprece e prefeito de Mauriti, Francisco Evanildo Simão da Silva. Segundo ele, a maioria dos prefeitos não está conseguindo cumprir com a folha de pagamento dos municípios por falta de recursos.

Durante a assembleia geral que definiu a paralisação, os prefeitos redigiram uma  “Carta em Defesa dos Municípios Cearenses” que será entregue ao governador do Ceará, Camilo Santana, ao Legislativo Federal e à presidente Dilma Rousseff. No texto, os gestores públicos municipais cearenses reivindicam a constituição de um Pacto Federativo mais justo e equilibrado garantindo ao ente federado municipal maior representatividade e autonomia.

Entre as reivindicações dos municípios, está a extinção da incidência do Pasep nas transferências para Estados e Municípios; aumento da parcela do IPI Exportação de 10% para 12%; aumento do Fundo de Participaçãos dos Estados (FPE) de 21,5% para 22,5%;  alteração do peso do VAF (Valor adicionado fiscal) de 75% para 50% na composição do índice de retorno do ICMS;  e regulamentação do repasse dos recursos dos royalties.

Do G1 CE

Saúde do Ceará recebe o maior aporte de recursos financeiros da história do Estado


O ministro da Saúde, Arthur Chioro, autorizou nesta sexta-feira (31), em solenidade realizada no Palácio da Abolição, a liberação de R$ 113,2 milhões para a Saúde do Ceará. O valor representa um incremento de 25% no total de repasses da União para o Estado, atualmente em torno de R$ 400 milhões. Este é o maior aporte de recursos financeiros do Governo Federal já feito para o Ceará de uma só vez. O governador Camilo Santana ressaltou que os recursos, já esperados pelos cearenses, são um esforço conjunto dos poderes federal e estadual. “Temos feito um grande debate nos últimos meses com o Ministério da Saúde sobre a necessidade de recursos, inclusive de equipamentos e serviços, que o Ceará vem prestando há um bom tempo. Portanto, o ministro vir aqui e autorizar essa verba é um momento importante para o Estado, pois mostra o esforço da
 Pasta nessa ampliação da saúde pública cearense”, pontuou.


O valor será destinado para o Hospital Regional do Cariri, UPAs do Conjunto Ceará e José Walter, ambulâncias do SAMU para o município de Eusébio, além do aumento dos valores, por produção, para o teto dos hospitais de Messejana, Dr. César Cals, Geral de Fortaleza, São José e Infantil Albert Sabin.

Para Arthur Chioro, o compromisso de liberar a verba para o Ceará é uma obrigação do Ministério. “Nós tínhamos um compromisso com o Ceará, que ampliou sua rede de atenção à saúde ao longo dos últimos anos, sobrecarregando profundamente os recursos estaduais. Não há aqui nenhum privilégio, mas sim o reconhecimento e uma obrigação do Ministério da Saúde com o Estado, no sentido de garantir o atendimento a sua população”, comunicou. O ministro lembrou ainda que “não há descuido da atenção primária, já que o anúncio foram para as áreas de alta e média complexidade”.

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, parabenizou o governador e agradeceu o ministro pela atenção dada ao Ceará. “Vejo que o governador tem se desdobrado em atenções e prioridades para a saúde do Estado. Entendemos também as enormes dificuldades que o ministro tem enfrentado, e, mesmo assim, teve a sobriedade de vir até o Estado e liberar essa verba para essa área que sempre necessita de atenção”, salientou. O evento contou com a presença do secretário Henrique Javi (Saúde); dos deputados federais José Guimarães, José Airton Cirilo, Arnon Bezerra, Odorico Monteiro e Aníbal Gomes; os deputados estaduais Rachel Marques, Bethrose Fontenele e Lucílvio Girão, além de representantes da área médica do Estado.

APLICATIVO INÉDITO - SOS AVC


R QN4464

Lançado pela Secretaria da Saúde do Estado, por meio do Comitê Estadual de Atenção ao Acidente Vascular Cerebral, durante a solenidade, o aplicativo, inédito e pioneiro no país, vai permitir o pronto reconhecimento de pacientes com AVC e a comunicação imediata com o SAMU 192. De acordo com o ministro, a ideia deve ser compartilhada com os demais estados do País. “Esse aplicativo é uma contribuição da medicina cearense para o resto do Brasil. Portanto, vamos levar a ideia para que outros estados da Federação possam copiar”, elogiou o ministro.

Muitos pacientes e familiares demoram a identificar os sintomas e sinais de um AVC, o que atrasa a chegada à unidade de saúde para o socorro e assistência. O neurologista e presidente do Comitê, João José de Carvalho, informou que somente 21% dos pacientes chegam a tempo de receber o tratamento trombolítico nas emergências, menos de 10% são conduzidos pelo SAMU 192, que é acionado em apenas 12% dos casos.

Desenvolvido nas versões android e iOS, o aplicativo com o nome SOS AVC, já está disponível para download gratuito no Google play e Apple Store. Fica fácil saber o que fazer diante de um paciente com AVC e ainda notificar um novo caso de AVC à Secretaria da Saúde do Estado, que desde 2008 desenvolve a política de controle da doença.

Apesar da redução do número de óbitos de 2014 em relação a 2013, o AVC continua sendo a doença que mais mata no Ceará. Em 2014 foram registrados 4.137 óbitos, menos do que os 4.399 óbitos de 2013, segundo dados do Sistema de Informações sobre Saúde (SIM), do Ministério da Saúde. Na rede pública estadual três hospitais fazem atendimento especializado em AVC: Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e o Hospital Waldemar Alcântara, na capital, e o Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte.

Hospital Regional do Norte


A agenda do ministro, ao lado do governador, começou na manhã desta sexta-feira (31), na região Norte do Ceará. Na ocasião, Arthur Chioro assinou um aumento de R$ 9 milhões na verba anual para o custeio do Hospital Regional Norte. O anúncio aconteceu durante uma visita técnica ao equipamento de saúde pública do Estado, em Sobral, a 230 km de Fortaleza.“O HRN faz parte de um programa de expansão e melhoria da assistência à saúde da população que o Governo do Estado desenvolve na Capital e no Interior. Trazer o ministro Arthur Chioro para ver de perto este hospital de grande porte é fundamental, pois assim podemos mostrar o quanto este equipamento mudou a realidade das pessoas de toda essa região. Esses R$ 9 milhões que se somam aos repasses do Governo do Estado são muito importantes. O uso da verba será exclusivamente para este hospital e vai ajudar a melhorar ainda mais o atendimento e custeio das unidades de tratamento” afirmou o governador Camilo Santana.

Dos R$ 9,6 milhões para o HRN, R$ 5,4 milhões serão para habilitar 10 leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) neo-natal e 30 leitos de cuidados intermediários neo-natal convencional. Já os R$ 3,6 milhões serão utilizados para a qualificação de leitos de enfermaria clínica de retaguarda.


Sobre o Hospital Regional do NorteR ARI2927


Construído pelo Governo do Estado para atender a população dos 55 municípios da macrorregião Norte, o HRN já realizou mais de 1,4 milhões de atendimentos, além de quase 16 mil cirurgias desde a sua inauguração em janeiro de 2013. O equipamento, localizado no bairro Junco, em Sobral, tem cerca de 57 mil metros quadrados de área construída, equipados com 382 leitos, 70 deles de Terapia Intensiva (UTI), 1.641 profissionais de saúde e capacidade para realizar até 1.300 internações por mês, sendo considerado o maior hospital público do interior entre os estados do Nordeste.

O HRN realiza atendimento em diferentes especialidades e exames complexos, como a ressonância magnética e tomografia. A auxiliar de enfermagem, Vânia Xavier, 35 anos, comentou que ter um Hospital desta magnitude em sua cidade, recebendo atendimento de especialistas de excelência, é muito importante para a saúde pública de sua localidade. "Desde que Hospital Regional do Norte abriu suas portas, não vejo nenhum tipo de reclamação. Tudo aqui é feito com uma eficiência que impressiona todos. Não vou em outro hospital e médico a não ser os daqui", falou emocionada.

Para o ministro Arthur Chioro, as unidade de saúde construídas e em pleno funcionamento, na cidade de Sobral, "são de excelência e mostra que esta unidade não deixa nada a desejar aos principais hospitais do Sul e Sudeste do Brasil".

Além disso, destacou o esforço do Governo do Estado em trazer um melhor atendimento público para os cearenses. "Este hospital não é só bem organizado do ponto de vista da sua proposta arquitetônica, equipamentos, estrutura e ambiência. Trata-se de uma unidade muito bem qualificado, inclusive, no ponto de vista da assistência. Parabenizo também o esforço que o Governo do Estado tem feito com seus recursos próprios, garantindo uma assistência de saúde de qualidade mesmo em um momento de retração de receita.Fiz questão de vir pessoalmente assinar duas portarias, pois sei que este é um investimento que irá ajudar muito o Governo do Estado a dar continuidade, além de poder garantir a população de toda Região Norte uma atendimento de qualidade e digno que merecem", comentou Arthur Chioro.

Participaram da visita ao HRN, o secretário Henrique Javi (Saúde), deputado federal Odorico Monteiro, o prefeito de Sobral, Clodoveu Arruda, além de secretários municipais, prefeitos e vereadores da região Norte.

Confira tabela de repasses por unidade de saúde

Tabela repasse

Fotos: Ariel Gomes, Queiroz Netto e Carlos Gibaja

Da Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

FHC defende Dilma e culpa Lula pelos escândalos de corrupção na Petrobras

“Em entrevista à revista alemã de economia Capital, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defendeu a presidente Dilma Rousseff, afirmando que ela não está envolvida no escândalo de corrupção na Petrobras. ”Não, não diretamente. Mas o partido dela, sim, claro. O tesoureiro está na cadeia”, afirma FHC em entrevista publicada em alemão na edição deste sábado (01/08) da revista. “Eu a considero uma pessoa honrada, e eu não tenho nenhuma consideração por ódio na política, também não pelo ódio dentro do meu partido, [ódio] que se volta agora contra o PT.”
FHC atribui ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a responsabilidade política pelo escândalo de corrupção na Petrobras. “Os escândalos começaram no governo dele”, argumenta. “Tudo começou bem antes, em 2004, com o Lula, com o escândalo do mensalão.”
Questionado se Lula estaria envolvido, FHC responde: “Não sei em que medida. Politicamente responsável ele é com certeza. Os escândalos começaram no governo dele”.
O ex-presidente, uma das principais lideranças do PSDB, afirma que era impossível que Lula não soubesse do mensalão. “Para colocá-lo atrás das grades, é necessário haver algo muito concreto. Talvez ele tenha que depor como testemunha. Isso já seria suficientemente desmoralizante”, comenta.
Mas FHC afirma que seria ir longe demais colocar Lula na cadeia: “Isso dividiria o país. Lula é um líder popular. Não se deve quebrar esse símbolo, mesmo que isso fosse vantajoso para o meu próprio partido. É necessário sempre ter em mente o futuro do país.”
Em outro ponto da entrevista, FHC elogia Lula. “Ele certamente tem muitos méritos e uma história pessoal emocionante. Um trabalhador humilde que conseguiu ser presidente da sétima maior economia do mundo.”
Mais adiante, FHC afirma que Lula era como um Cristo. “Eles fizeram dele um deus, mas ele apenas levou adiante a minha política.” FHC diz ainda que há um lado bom na atual crise. “Os cidadãos veem: as instituições funcionam Ministério Público, Polícia Federal, toda essa Operação Lava Jato.

(Blog do Eliomar de Lima)

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Subtenente morre após ser atingido por quatro tiros em assalto no Ceará

Foto: Divulgação
Um subtenente da Polícia Militar (PM) morreu atingido por quatro tiros após ter tentado intervir em um assalto na rua 24 de Maio, Centro. O episódio ocorreu por volta das 8h desta sexta-feira, 31.

O subtenente Jessé de Moura Freire Neto foi encaminhado ao Instituto Dr. José Frota (IJF), onde não resistiu aos ferimentos. Ele era lotado na 3ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar (3ªCia /6º BPM).
Um acusado foi preso logo após o crime e encaminhado ao 34º Distrito Policial (34º DP). Trata-se de Ismael Ferreira da Silva.

O 34º DP informa que dois homens praticavam um assalto, quando o subtenente Jessé tentou evitar a ação. O PM foi, então, atingido pelos disparos.


Do O POVO Online

Usuários do Mais Médicos dão nota nove ao programa, aponta pesquisa

Arquivo/Agência Brasil
Pesquisa mostra que usuários do Mais Médicos dão nota nove, em uma escala de zero a 10, como nota média para o programa. O levantamento, feito pelo Grupo de Opinião Pública da Universidade Federal de Minas Gerais, mostra que 54% dos usuários entrevistados dão nota 10 ao programa, criado em 2013 para levar médicos a regiões carentes.

Encomendado pelo Ministério da Saúde, o estudo aponta que, diferentemente do que os que são contra o programa pensavam, a maioria dos pacientes atendidos pelos médicos estrangeiros não sentiu dificuldades na comunicação. Os dados apontam que 84% não tiveram dificuldades de entendimento e que apenas 2% sentiram muita dificuldade.

Para Helcimara Telles, coordenadora da pesquisa, o que faz com que o programa seja bem avaliado é o atendimento médico. ”Mesmo que a infraestrutura da Unidade Básica de Saúde não seja muito boa, mesmo que faltem coisas, quando o atendimento médico é bom isso repercute bem na avaliação do programa”, defende a pesquisadora. Para a coordenadora, essa satisfação pode estar ligada à experiência dos médicos, já que 63% dos profissionais têm mais de dez anos de experiência, a maioria na atenção básica.

O perfil do usuário mostra que a maioria (80%) dos pacientes são mulheres, com filhos, renda de até dois salários mínimos e que 40% recebem bolsa família. “Isso mostra que o programa está atendendo o público alvo”, explica Helcimara.

Como desafios principais apontados pelos usuários, o levantamento destaca as dificuldades no acesso aos medicamentos, na marcação de consultas e na demora para receber o atendimento. Além disso, os pacientes também reclamam que não conseguem ser atendidos pelo mesmo profissional, o que dificulta o acompanhamento do histórico de saúde.

Comparando com o período anterior à chegada dos médicos do programa, 84% acham que o atendimento melhorou muito, 83% apontam melhora na duração da consulta e 81% acreditam que o profissional conhece mais os problemas de saúde do que os médicos anteriores.

Os resultados da pesquisa foram apresentados durante o 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, em Goiânia. As entrevistas foram feitas em Unidades Básicas de Saúde de 700 municípios de todas as regiões do país entre 17 de novembro e 23 de dezembro de 2014. A margem de erro é 1%.

Para a doutora em saúde pública e professora do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Lígia Bahia, o programa cumpriu um papel importante no atendimento em áreas carentes. “Ele não muda a estrutura do sistema público de saúde, mas ele foi capaz de levar assistência a uma parcela da população que não tinha”.

Ela destaca que os médicos cubanos são muito experientes e bons e que isso pode ter levado à avaliação tão positiva dos pacientes. No entanto, Lígia contesta o modelo de dar uma nota ao programa. “Uma nota resumo não é um método adequado para uma pesquisa de satisfação do usuário. Para mim, uma nota nove não quer dizer nem que o sistema é excelente e nem que não funciona.”, defende.

(Da Agência Brasil)

Contas do governo fecham 1º semestre no vermelho


O governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) registrou déficit primário de 8,206 bilhões de reais em junho, pior resultado para esse mês, abatido pela fraca arrecadação em meio ao cenário econômico e político conturbado.

Com isso, no acumulado do primeiro semestre, a economia feita para pagamento de juros fechou negativa em 1,598 bilhão de reais, informou o Tesouro Nacional nesta quinta-feira, primeiro déficit neste período desde o início da série histórica, em 1997.

"O quadro é claro: o ciclo econômico tem afetado a arrecadação", disse o secretário do Tesouro, Marcelo Saintive.

Com forte queda na arrecadação e gastos em nível elevado, o governo anunciou na semana passada redução drástica da meta de superávit primário do setor público consolidado --governo central, Estados, municípios e estatais-- a 0,15 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) e incluiu uma cláusula que permite abatimentos.

Na ocasião, anunciou também corte adicional de gastos de 8,6 bilhões de reais, ampliando para 78,6 bilhões de reais o bloqueio de verbas do orçamento federal no ano para reforço do ajuste fiscal.

No mês passado, a arrecadação federal teve queda real de 2,44 por cento, fechando a primeira metade de 2015 com recuo real de 2,9 por cento em consequência do fraco nível de atividade.

Em junho, o Tesouro registrou déficit primário de 1,915 bilhão de reais, enquanto a Previdência Social e o Banco Central apresentaram saldos negativos de 6,267 bilhões de reais e de 23,9 milhões de reais, respectivamente.

Ainda segundo o Tesouro, as receitas líquidas somaram 81,138 bilhões de reais em junho, com alta de 3,4 por cento em relação a junho de 2014, mas com queda real (descontada a inflação) de 5 por cento.

Já as despesas avançaram num ritmo bem maior, ficando em 89,343 bilhões de reais em junho, alta de 11,1 por cento sobre um ano antes, e com alta real de 2,1 por cento no período.

Nesta semana, a agência de classificação de risco Standard & Poor's sinalizou que pode tirar o selo de bom pagador do Brasil, em meio ao cenário fiscal e político conturbado, abalado pelas denúncias de 
corrupção dentro da operação Lava Jato.

(Por Luciana Otoni)

(Reuters Brasil)

Cobrança extra na conta de luz continua em agosto, diz Aneel

Cristina Cabral/O Popular/Folhapress
A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) divulgou nesta sexta-feira (31) que as contas de energia elétrica vão permanecer mais caras no mês que vem.

A agência reguladora do setor informou que agosto terá a bandeira tarifária vermelha. De acordo com o sistema (que divide as bandeiras nas cores verde, amarela e vermelha), as contas de luz de todos os consumidores ficam mais caras devido ao acionamento de usinas termelétricas, que têm custo de geração de energia maior.

Desde janeiro que a Aneel mantém a bandeira vermelha para as contas de luz. Na prática, isso significa um acréscimo de R$ 5,50 a cada 100 kilowatt-horas (Kwh) gastos.

O acionamento de usinas termelétricas acontece quando há redução dos níveis dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

(Folha de S.Paulo)

Instituto Lula é alvo de ataque a bomba em SP; ninguém se feriu

Nelson Antoine/Frame/Estadão Conteúdo
A sede do Instituto Lula, situada no Ipiranga, na zona sul de São Paulo, foi alvo de um ataque a bomba na noite de quinta-feira (30). O caso ocorreu por volta das 22h e foi confirmado pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Ninguém se feriu. É o terceiro ataque a bomba contra prédios ligados ao PT neste ano.

"O objeto foi arremessado contra o prédio do instituto de dentro de um carro", diz a nota emitida nesta sexta-feira (31) pelo instituto, que classificou o ataque como político.

"O Instituto Lula já comunicou as polícias Civil e Militar, o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo e o ministro da Justiça e espera que os responsáveis sejam identificados e punidos", acrescenta o texto.

De acordo com a assessoria de imprensa da entidade, não havia ninguém na sede no momento do ataque, e foi possível identificar o horário da ocorrência por causa das imagens do circuito interno de TV. O ataque danificou o portão da garagem do prédio.

Também por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública disse que o artefato usado foi "uma pequena bomba de fabricação caseira". "O Secretário de Segurança, Alexandre de Moraes, conversou pela manhã com o Ministro da Justiça. A perícia já foi determinada e as investigações já começaram", afirmou a secretaria.

Em maio deste ano, a sede do diretório municipal do PT em São Paulo também foi alvo de uma bomba. Em março, a sede do diretório petista de Jundiaí, no interior paulista, também foi atacada.

O instituto foi criado em 2011, logo após o fim do segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Do UOL

Confiança dos brasileiros na política desaba em 2015, aponta Ibope

Vista do prédio do Congresso Nacional, em Brasília - André Dusek/Estadão Conteúdo
O nível de confiança dos brasileiros nas instituições políticas desabou neste ano, depois de ter ficado praticamente estável em 2014, segundo pesquisa Ibope divulgada na quinta-feira (30). As maiores quedas do chamado Índice de Confiança Social se deram em relação à presidente da República e aos partidos políticos, seguidos de perto pelo Congresso Nacional.

O índice é medido desde 2009, sempre no mês de julho, e mede a confiança da população em 18 instituições e quatro grupos sociais.

Até 2012, não houve grandes variações nos números. Em julho de 2013, após a onda de manifestações de protesto nas maiores cidades do país, a confiança caiu em relação a todas as instituições - entre elas empresas, bancos, polícia e até igrejas.

Em 2015, porém, a queda foi seletiva: quase todas as instituições não ligadas ao mundo político mantiveram suas "notas" ou se recuperaram levemente, enquanto governo, partidos e parlamentares ampliaram seu desgaste.

A confiança na presidente, por exemplo, caiu pela metade desde 2014: era de 44, em uma escala de zero a 100, e passou para 22. Em 2010, último ano do governo Luiz Inácio Lula da Silva, o índice estava em 69 - mais do que o triplo do valor atual.

A segunda maior queda afetou os partidos - seu índice de confiança passou de 30 para 17 entre 2014 e 2015. O que não mudou foi sua posição no ranking: desde 2009, as agremiações partidárias aparecem sempre na última posição entre as 18 instituições pesquisadas.

A terceira maior queda foi a do Congresso Nacional, cujo índice passou de 35 para 22. Isso coloca os parlamentares na penúltima posição do ranking de 2015, em situação de empate com a presidente.

Saúde

Fora do universo político, a única perda significativa de confiança foi registrada pelo sistema público de saúde (queda de 42 para 34). Já as escolas públicas se mantiveram estáveis (56 em 2014 e 57 em 2015).

Segundo o Ibope, há "muita confiança" em uma instituição quando seu índice é superior a 66. Entre 34 e 66 há "alguma confiança", e "quase nenhuma confiança" quando o índice é inferior a 33. Estão nessa última situação todas as instituições políticas do país.

A pesquisa revelou desgaste significativo dos prefeitos, muitos dos quais buscarão a reeleição no ano que vem. O índice de confiança da categoria caiu de 42 para 33. Em relação a 2011, ano anterior ao das eleições municipais de 2012, a redução é ainda maior: 19 pontos.

O primeiro colocado no ranking de confiança de 2015 foi o Corpo de Bombeiros, instituição que até melhorou seu índice em relação ao ano passado, de 73 para 81. Em seguida aparecem igrejas (71), Forças Armadas (63) e meios de comunicação (59).

A pesquisa foi feita entre os dias 16 e 22 de julho, em 142 municípios de todas as regiões do país. Foram ouvidas 2.002 pessoas com 16 anos ou mais. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Fenômeno conhecido como ‘lua azul’ ocorre nesta sexta-feira (31)

Termo foi criado para nomear a segunda lua cheia do mês. Apesar de raro, evento não modifica cor do satélite

Lua cheia se despede atrás da Igreja da Penha: fenômeno conhecido como ‘lua azul’
 será nesta sexta-feira - Custódio Coimbra / Agência O Globo
O fenômeno conhecido como “lua azul” não tem nada a ver com uma mudança na cor do nosso satélite natural. Ele é um evento astronômico raro que ocorre quando um mesmo mês tem duas luas cheias. E, nesta sexta-feira à noite, será possível curtir a segunda lua cheia de julho — a primeira foi no dia 2 —, como não acontecia há muito tempo, já que esse é um fenômeno um pouco raro. Sua última ocorrência foi em 2012, e ele só voltará a se repetir no dia 31 de janeiro de 2018. Mas quem espera ver uma orbe azulada no céu vai se decepcionar, já que a lua estará prateada, com sempre.

Apesar do evento ser interessante para os astrônomos, ele é considerado mesmo importante para os astrólogos, que dizem que a segunda lua cheia do mês marca um momento de virada, mudança e novas possibilidades. Ocasionalmente, a lua realmente fica da cor azul, mas isso geralmente acontece por causa de um vulcão em erupção. Isso acontece porque, quando há partículas finas de poeira ou fumaça no céu, elas agem como um filtro, permitindo que somente a luz azul passe através delas.

Em 1883, luas azuis apareceram quase todas as noites no céu depois que o vulcão indonésio Krakatoa explodiu com a força de uma bomba nuclear. Luas azuis também foram vistas em 1983, após a erupção do vulcão El Chichón, no México. Os incêndios florestais que produzem muita fumaça também podem desencadear o fenômeno na região da queimada.

Veja a matéria completa no O GLOBO

Grupo explode agência bancária em Jaguaretama (CE)

Suspeitos armados invadiram a cidade e efetuaram vários disparos. Grupo fugiu em dois carros e duas motos. Ninguém foi preso.

Testemunhas afirmaram para a polícia que ouviram pelo menos três explosões e muitos disparos de tiros. 
Não houve confronto com a polícia e ninguém ficou ferido. (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)
Um grupo armado explodiu na madrugada desta sexta-feira (31), uma agência bancária no município de Jaguaretama, a 240 Km de Fortaleza. Segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará, este é o 43º ataque contra bancos em 2015. De acordo com o Comando de Policiamento do Interior (CPI), a ação aconteceu por volta de 2h.

A Polícia Militar disse que seis homens invadiram a cidade em dois carros e quatro motos. A ação durou menos de meia hora.  Testemunhas afirmaram para a polícia que ouviram pelo menos três explosões e muitos disparos de tiros. Não houve confronto com a polícia e ninguém ficou ferido.

Carro e moto abandonados
O grupo conseguiu fugir. Um carro prata e uma moto foram encontrados por volta das 6h abandonados na estrada que liga a Jaguaretama à cidade de Solonópole. A polícia acredita que eles possam ter sido usados na fuga.  Ainda não se sabe a quantia que foi levada. A agência, que ficou completamente destruída, já havia sido alvo de bandidos.

Equipes do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), Comando Tático Motorizado (Cotam), Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), e Comando Tático Rural (Cotar) de cidades vizinhas trabalham em diligências para encontrar pistas que levem aos suspeitos. Até o início da manhã desta sexta-feira, ninguém havia sido preso.

Do G1 CE

Dilma pede a governadores ajuda para sair da crise

A presidente Dilma Rousseff (de azul claro) em encontro com os governadores de todos os Estados 
Pedro Ladeira/Folhapress
Durante discurso aos governadores de todo o país, a presidente Dilma Rousseff reconheceu que o Brasil passa por "dificuldades", como a alta da inflação e a desvalorização da moeda, e pediu ajuda aos chefes nos Estados para "enfrentar os problemas juntos".

Em tom de desabafo, a presidente afirmou que sabe "suportar pressão e até injustiça", em um claro recado aos setores da oposição que defendem seu impeachment.

"Eu não nego as dificuldades, mas afirmo que todos nós, e o governo federal em particular, temos como enfrentar essas dificuldades e em um prazo bem mais curto do que alguns pensam. [...] É importante estabelecer parcerias e enfrentar os problemas juntos", declarou Dilma nesta quinta-feira (30).

Sob críticas de que governa de maneira centralizadora, a presidente disse que tem "ouvidos e coração" abertos para receber críticas e sugestões.

"Eu, pessoalmente, sei suportar pressão e até injustiça e isso é algo que qualquer governante tem que se capacitar e saber que faz parte da sua atuação. Tenho ouvido aberto, enquanto razão, e o coração, enquanto sentimento, para saber que o Brasil que cresceu e não se acomoda é o Brasil que nós queremos, que sempre quer mais", declarou.

Em uma fala de pouco mais de trinta minutos, Dilma elencou problemas econômicos que o Brasil enfrenta, segundo ela, desde agosto de 2014, como "o colapso no preço das commodities, a grande desvalorização da moeda, com impacto nos preços e na inflação". Mas afirmou que "isso não é desculpa para ninguém".

O objetivo da presidente era dividir com os governadores a responsabilidade de evitar a aprovação de projetos no Congresso que impliquem em mais gastos para a União e, consequentemente, para os Estados.

Dilma disse ainda que o governo federal "tem que arcar com a responsabilidade e assumir suas condições" mas, ao mesmo tempo, "algumas medidas afetam os Estados e, portanto, os governadores têm que ter clareza" da situação.

DESGASTE

A presidente não deixou de lembrar que "assumiu" o desgaste de vetar algumas medidas de "grave impacto" nas contas públicas, como o reajuste do salário dos servidores do Judiciário, aprovado em junho pelo Senado, mas ressaltou que há outros projetos em pauta "que terão impacto sobre os Estados sem sombra de dúvida".

"Todos nós, em maior ou menor grau, enfrentamos dificuldades fiscais", disse. "A saída para resolver os nossos problemas é usar os recursos que temos, sermos mais eficientes, sobretudo naquelas áreas em que atuamos conjuntamente", completou Dilma.

O ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, braço direito do vice-presidente Michel Temer na articulação política do governo, ficou responsável por fazer uma exposição sobre as pautas-bomba no Congresso, elencando os impactos de cada uma delas.

Em seguida, a presidente prometeu a redução da inflação para o próximo ano e a retomada do crescimento. Dilma tentou mostrar aos governadores que o ajuste fiscal e os programas lançados pelo governo vão recolocar o Brasil na rota do crescimento.

"O estímulo à exportação, o investimento em infraestrutura [com o programa de concessões], a retomada do crédito e a expansão do consumo vão fazer o Brasil voltar a crescer", afirmou.

PACTO

A presidente propôs ainda um pacto nacional pela redução de homicídios e da população carcerária e pediu apoio dos governadores à reforma do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). O governo quer unificar a alíquota em 4% para todo o país. Atualmente, cada Estado tem o seu percentual, criando a chamada "guerra fiscal".

A reunião no Palácio da Alvorada contou com a presença de 26 governadores –somente o representante do Mato Grosso do Sul enviou a vice, alegando viagem internacional.

Além deles, estavam presentes o vice-presidente Michel Temer, e nove ministros: Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento), Aloizio Mercadante (Casa Civil), José Eduardo Cardozo (Justiça), Arthur Chioro (Saúde), Eliseu Padilha (Aviação Civil), Edinho Silva (Secretaria de Comunicação Social), Guilherme Afif Domingos (Micro e Pequenas Empresas) e Gilberto Kassab (Cidades).

(Folha de S.Paulo)

quinta-feira, 30 de julho de 2015

PMDB expulsa dois prefeitos por infidelidade partidária

Comissão de Ética e Disciplina do PMDB reuniu-se, nesta quinta-feira, na sede partidária, e decidiu pela expulsão dos prefeitos Gonçalo Coelho, de Nova Russas, e Fabiano Lobo, de Santa Quitéria, por infidelidade partidária.
Os dois votaram na eleição para governador no petista Camilo Santana e não no peemedebista Eunício Oliveira. Ambos, inclusive, já haviam informado que iriam deixar o partido. No PMDB, no entanto, há quem defensa peleja na Justiça pelos mandatos.
Na semana passada, a Comissão de Ética e Disciplina expulsou o vereador Carlos Mesquita pelo mesmo motivo e ele informou que está recorrendo à direção nacional.
Está também na mira da expulsão o deputado federal Aníbal Gomes que, em entrevista para o blog do Eliomar, chegou a dizer que quem deveria ser expulso era o senador Eunício Oliveira por não ter apoiado Dilma e o peemedebista Michel Temer, mas o tucano Aécio Neves.
(Blog do Eliomar de Lima)

Dep. Irapuan Pinheiro Realiza a VII Conferência Municipal de Assistência Social


A Secretaria Municipal de Assistência Social, com o apoio da Prefeitura Municipal de Deputado Irapuan Pinheiro realizou nesta quarta-feira (29) a VII Conferência Municipal de Assistência Social, no Centro Administrativo da Assistência Social, antigo C.S.U.

A Conferência foi realizada com o tema ”Consolidar o SUAS de vez, Rumo a 2026”, e recebeu a presença da prefeita Rizoleta Moreira, profissionais da assistência social, profissionais e usuários do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), profissionais da educação e saúde, entidades escolares, vereadores, secretários de governo e representantes de diversos segmentos da sociedade civil e organizada.


Na programação, antes do início da conferência, houve o credenciamento e coffee Break, logo após houve abertura solene com a participação das autoridades, como também foi feito a leitura do regimento interno da Conferência, que foi aprovado por unanimidade. 

Durante o evento, a dona de casa Aparecida e ex – Alcoólatra, fez um testemunho aos presentes. Aparecida no momento é amparada pela Assistência Social e segue em acompanhamento do CRAS e do Conselho Tutelar. 

Ainda durante a programação, houve discussão nos grupos e em seguida foi feita apresentação de resultados na plenária. Por fim, houve Plenária para aprovação dos Grupos e eleição dos delegados, onde foram eleitas Jaianny Pinheiro delegada e suplente Aldenoura Dantas. 

Sancionada lei que estende até 2019 a atual política de reajuste do salário mínimo


A política de reajuste do salário mínimo será mantida até 2019. A presidente da República, Dilma Rousseff, sancionou com vetos a proposta, que agora é lei. Os vetos foram aos artigos que estendiam às aposentadorias acima do mínimo a garantia da correção anual acima da inflação. A nova legislação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 30 de julho.

O argumento usado pelo Planalto para o veto é a inconstitucionalidade da proposta ser vinculada aos benefícios previdenciários. Segundo a Presidência, este veto não viola a garantia constitucional que estabelece que benefícios que substituem o salário de contribuição ou o rendimento do trabalho não podem ter valor mensal inferior ao salário mínimo.

Esta parte do texto foi incluída por parlamentares, durante a tramitação da Medida Provisória elaborada pelo governo federal.

Reajuste

De acordo com a atual política do salário mínimo, os valores devem ser corrigidos com base na inflação apurada no ano anterior pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e no crescimento da economia de dois anos antes.

Da Agência CNM, com informações da Agência Estado