terça-feira, 21 de maio de 2019

Mais de 200 cearenses com Alzheimer usam remédio adesivo do SUS

Desde abril de 2018, 31.550 adesivos de rivastigmina já foram distribuídos, segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). O medicamento apresenta melhor tolerância, reduzindo efeitos colaterais como náuseas e vômitos

Os efeitos positivos também são benefícios para a família, pois
o paciente fica mais tranquilo - Foto: Fabiane de Paula 
Conviver com o Alzheimer é uma realidade sofrida para pacientes e familiares; então toda conquista é celebrada. No Ceará, desde abril de 2018, pacientes têm um novo aliado para enfrentar essa doença neurodegenerativa e sem cura, através da oferta da rivastigmina, um medicamento adesivo, fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O adesivo auxilia na redução do desenvolvimento dos sintomas e possui menos efeitos colaterais.

No Estado, 31.550 adesivos de rivastigmina já foram distribuídos, beneficiando 226 pacientes, segundo dados da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). A Pasta informa que o remédio está inserido no Componente Especializado da Assistência Farmacêutica, com aquisição centralizada pelo Ministério da Saúde e disponibilização nas unidades de referência dos estados.

"Foi algo que facilitou muito para o paciente. Ele coloca o adesivo, trocado a cada 24h e tolera bem", relata Danielle Pessoa Lima, médica geriatra do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e professora do curso de Medicina da Universidade de Fortaleza (Unifor). A especialista explica que a absorção cutânea reduz as sensações de náuseas, desconfortos gastrointestinais, vômitos e diarreias.

Tratamento

Em Fortaleza, a deliberação para o tratamento é realizada no HUWC, segundo Danielle Pessoa Lima. Em nota, a Sesa afirma que os pacientes podem ser cadastrados "mediante avaliação do neurologista, psiquiatra ou geriatra, exames de diagnóstico e emissão de laudo médico, prescrição médica e outros documentos exigidos pelo Ministério da Saúde (Portaria GM/MS nº 1554/2013)". Na documentação estão inseridas cópias do Cartão Nacional de Saúde, comprovante de residência e documento de identidade.

A geriatra avalia que, em até 10% dos casos, o adesivo pode causar uma leve dermatite, com vermelhidão e coceira, declara. No entanto, ela ressalta que o risco pode ser minimizado com alternância da aplicação do adesivo em diferentes pontos: tronco (costas e tórax) e deltoides (ombros).

Os efeitos positivos também são benefícios para a família, pois o paciente fica mais tranquilo e interage melhor. "Ter o seu pai conversando com você, menos confuso e sem querer sair de casa porque acha que não está na casa dele, são ganhos muito importantes", salienta a médica.

Prevenção

A geriatra fala que alguns fatores aumentam as chances de causa da doença, como o tabagismo, colesterol alto, diabetes, hipertensão. A baixa escolaridade também entra na lista já que há mais reserva cognitiva quando o cérebro é mais estimulado.

Uma das prevenções não farmacológicas mais importantes é a atividade física, principalmente aeróbica, assim como boa interação social, alimentação e a ausência de depressão, ressalta a médica.

Fonte: Diário do Nordeste

Governo federal aprova registro de mais 31 agrotóxicos, somando 169 no ano

Número de produtos autorizados vem crescendo há 3 anos.

No ano passado, foram registrados 450 agrotóxicos — Foto: Agência Brasil
O Ministério da Agricultura formalizou nesta terça-feira (21) o registro de mais 31 agrotóxicos. No ano todo, já são 169 produtos autorizados. As informações são do G1

O número de defensivos aprovados no Brasil vem crescendo significativamente nos últimos três anos, fato que preocupa ambientalistas e profissionais da saúde. Em 2015, foram 139. Em 2018, 450.

O registro de um agrotóxico é feito pelo Ministério da Agricultura (Mapa), que verifica a eficiência no combate a pragas e doenças no campo. Mas o registro só é concedido quando o produto também é autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia os riscos à saúde, e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que analisa os perigos ambientais. Sem o aval dos três órgãos, ele não é liberado.

Segundo o Ministério da Agricultura, o aumento da velocidade dos registros se deve a ganhos de eficiência possibilitados por "medidas desburocratizantes" implementadas nos três órgãos nos últimos anos, em especial na Anvisa. A agência confirma esforços para diminuir a fila de produtos em análise.

A lista dos 169 produtos não é homogênea. Ela contém desde um novo princípio ativo (produto técnico) e suas "cópias" quando caem as patentes (produto técnico equivalente) até o composto que chega ao agricultor (produto formulado) e os "genéricos" desse composto (produto formulado equivalente).

Em 2019, nenhum princípio ativo novo foi aprovado. O último registrado foi o sulfoxaflor, no fim do ano passado. Ainda não foram liberados produtos formulados à base dessa substância e, portanto, ela ainda não chegou ao mercado para o agricultor. Esse princípio ativo é associado à redução do número de abelhas em estudos feitos fora do país.

Cópias de glifosato liberadas

Dos 31 agrotóxicos registrados nesta terça-feira, 29 são produtos técnicos equivalentes, ou seja, reproduções de princípios ativos já autorizados no Brasil. Três deles são do polêmico glifosato, associado a um tipo de câncer em processos bilionários nos Estados Unidos.

Os outros dois são produtos finais: Compass e Troia, à base de ametrina e mancozebe, respectivamente. Essas substâncias já estão presentes na composição de outros venenos.

Somados todos os atos publicados pelo Ministério da Agricultura em 2019, o número de agrotóxicos autorizados chega a 197. Isso acontece porque os registros de 28 produtos concedidos no ano passado foram formalizados em janeiro deste ano.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Campanha contra gripe vacina mais de 1,7 mi de pessoas prioritárias e segue até dia 31 de maio

O índice representa quase 67% da meta estabelecida pela Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), que almeja chegar aos 90%  

A Sesa indica que o grupo prioritário não deve esperar até o fim
 da campanha para receber imunização. 
Foto: José Leomar
Do dia 10 de abril a 19 de maio, a 21ª Campanha de Vacinação Contra a Gripe alcançou 1.704.076 pessoas dos grupos prioritários. De acordo com a meta estabelecida pela Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), o número representa 66,48% dos 90% estabelecidos. Até o dia 31 deste mês, 2.385 postos de saúde continuam participando da ação em todo o Estado. A campanha oferece uma vacina trivalente, com proteção para H1N1, H3N2 e B/Colorado/06/2017 (influenzas semelhantes à gripe suína). 

Dentre as categorias dos grupos prioritários, 99% dos funcionários do sistema prisional já foram vacinados, de acordo com o Ministério da Saúde. Seguindo as taxas de maior imunização estão mulheres com até 45 dias pós-parto (76,83%), gestantes (75,86%) e crianças de 6 meses a menores de 6 anos (75,71%). No entanto, com pouco mais de 10% de alcance, a imunização da população privada de liberdade ainda segue em baixa. Os dados foram contabilizados no último domingo (19).

Como prioridade também estão os idosos com 60 anos ou mais, os doentes crônicos, os trabalhadores da saúde, a população indígena, os adolescentes e jovens sob medida socioeducativa, os professores de escolas públicas e particulares e os profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas). 

Por meio das redes sociais, na última quarta-feira (14), o governador Camilo Santana falou com a população sobre a importância da campanha. "É preciso que as pessoas dentro das faixas etárias (prioritárias) procurem se vacinar, levar seus filhos. Quero fazer esse convite para que todos possam se vacinar. Pensem na vida de vocês, na vida dos seus filhos porque essa é uma ação de prevenção e é fundamental", salienta o governante.

Fonte: Diário do Nordeste

Acopiara recebe curso de capacitação em arbitragem de futebol de campo

Os inscritos participaram do evento que aconteceu de 17 a 19 de maio
Contribuindo para o aperfeiçoamento na atuação de estudantes e profissionais de Educação Física da região Centro Sul do Estado, a Secretaria do Esporte e Juventude (Sejuv) ofertou, neste último final de semana, mais um curso de Capacitação e Incentivo ao Desporto, no município de Acopiara.

O curso de Arbitragem em Futebol de Campo teve a carga horária de 20h/a teóricas e práticas. As aulas foram ministradas pelo Membro da Comissão de Arbitragem da Federação Cearense de Futebol, Marcos Sampaio.

Profissionais de Educação Física e estudantes participaram da explanação teórica no Auditório do Liceu, onde os inscritos puderam aprofundar-se sobre diversos assuntos, tais como: A filosofia e o espírito das regras; Notas sobre as regras do jogo; O árbitro; Arremesso lateral, entre outras temáticas. Já a atividade prática foi aplicada no Campo da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB).

Capacitação e Incentivo ao Desporto

Os Cursos de Capacitação tem como objetivo incentivar a qualificação e formação técnica dos estudantes e profissionais de Educação Física e consequentemente melhorar a qualidade dos serviços ofertados no estado.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Governo do Estado do Ceará

Produtores rurais devem vacinar seu rebanho até dia 01 de junho


Os produtores cearenses têm até o próximo dia 01 de junho para vacinarem o rebanho contra a febre aftosa. Vale ressaltar que os produtores têm até 15 dias após a aquisição da vacina para realizarem a declaração da vacinação. Para isso, precisam se dirigir a qualquer núcleo da Adagri, Ematerce ou procurar as secretarias municipais de agricultura conveniadas.

A meta é atingir índices vacinais superiores a 90% dos rebanhos, cerca de 2,5 milhões bovinos e bubalinos. De acordo com o coordenador do Programa de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa da Adagri, Joaquim Barros, os animais vacinados deverão ser declarados por faixa etária e sexo. Nesta etapa serão utilizadas vacinas nas embalagens de 15 e 50 doses e a dose por animal é de 2ml, por via intramuscular ou subcutânea”, explica.

O coordenador reforça que a portaria da Adagri nº 046/2019, publicada no DOE 10/04/2019, determina que, no ato da declaração da vacinação de bovinos e bubalinos, os criadores são obrigados a informar as outras espécies de animais existentes na propriedade, para a atualização cadastral.

O Programa Nacional de Febre Aftosa (PNEFA), Plano Estratégico 2017 – 2026, prevê que a última etapa de vacinação contra febre aftosa no Estado do Ceará poderá ocorrer em maio de 2020, quando o estado se tornar livre de febre aftosa sem vacinação, reconhecido nacionalmente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

A Campanha de Vacinação é uma realização do Governo do Estado do Ceará, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adagri), autarquia vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet). São parceiras da ação a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ematerce), secretarias municipais de agricultura, sindicatos patronal e dos trabalhadores rurais, associações de criadores e comunidades.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Governo do Estado do Ceará

Lula está apaixonado e quer casar quando sair da prisão, diz ex-ministro

Foto: Gabriel de Paiva/Agência O Globo
O ex-presidente Lula, que está preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba há pouco mais de um ano, está apaixonado e quer casar. As informações são do ex-ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser-Pereira, que foi visitar Lula na prisão e publicou em seu perfil do Facebook um relato da conversa.

O ex-ministro afirma que Lula está em "ótima forma física e psíquica" e que seu primeiro projeto ao sair da prisão é se casar. De acordo com informações da revista Época , a namorada de Lula é de São Paulo e tem cerca de 40 anos.

Ainda segundo a revista, a mulher o visita com frequência e o relacionamento existe desde antes da prisão do ex-presidente.

Além disso, Bresser-Pereira também relatou que os dois conversaram sobre a situação da Venezuela e que o petista reconhece erros do regime chavista, apesar de se colocar contra qualquer tipo de intervenção no país vizinho.

O ex-presidente do Brasil tinha uma relação próxima com Hugo Chávez, ex-presidente venezuelano, e contou que muitas vezes o aconselhou. Para Lula, Chávez "era uma pessoa ótima, mas cabeça-dura. Ouvia os conselhos com atenção, mas não os seguia", escreveu o economista.

Lula insiste que provará sua inocência. De acordo com Bresser-Pereira, seu grande projeto é "negociar um grande acordo nacional em defesa dos trabalhadores e das empresas, em defesa da soberania necessária para a retomada do desenvolvimento".

Leia mais em: Último Segundo - iG

Enem: candidatos sem isenção têm até quinta-feira para pagar inscrição

As provas serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Finalizadas as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, os estudantes que não obtiveram isenção têm até a próxima quinta-feira (23) para pagar a taxa de inscrição. O valor é de R$ 85 e pode ser pago em agências bancárias, casas lotéricas e Correios.

Quem teve direito à isenção do pagamento da taxa e concluiu a inscrição no prazo tem participação garantida.

As inscrições pra o Enem foram encerradas na última sexta-feira (17) com 6.384.957 de inscritos. O total de participantes confirmados será divulgado no dia 28 deste mês. As provas serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem, por exemplo, para se inscrever em programas de acesso à educação superior como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) ou de financiamento estudantil.

Estudo

Para reforçar o conhecimento dos candidatos, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) oferece várias estratégias gratuitas, como o Questões do Enem, no qual os estudantes têm acesso a um atualizado banco de dados que reúne provas de 2009 até 2018. O site permite a resolução das questões online, com o recebimento do gabarito.

Pelo perfil EBC na Rede, é possível acompanhar a série Caiu no Enem. O desafio é responder no fim de semana à questão publicada na sexta-feira. Na segunda-feira, um professor responde ao questionamento. A série fica até a semana que antecede ao exame de 2019. Para ter acesso aos vídeos com as respostas, basta se inscrever no canal youtube.com/ebcnarede.

(Agência Brasil)

domingo, 19 de maio de 2019

Bolsonaro publica texto de autor desconhecido que fala num Brasil 'ingovernável' fora de conchavos

Presidente reforça discurso de que é vítima do ‘Sistema’ ao compartilhar mensagem que afirma que ele sofre pressão das corporações e Brasil está ‘disfuncional’

O presidente defendeu que é preciso ceder em determinados momentos
 para "ganhar lá na frente". Foto: Dida Sampaio/Estadão
O presidente Jair Bolsonaro reforçou nesta sexta-feira, 17, o discurso de que é vítima de um sistema corrompido ao compartilhar, por WhatsApp, um texto que afirma “que o Brasil, fora desses conchavos, é ingovernável”. A mensagem foi interpretada no Congresso como mais um ataque do presidente ao que ele chama de “velha política”. O texto diz que o presidente sofre pressões de todas as corporações, em todos os Poderes, e que o País “está disfuncional”, mas não por culpa de Bolsonaro. “Até agora (o presidente) não fez nada de fato, não aprovou nada, só tentou e fracassou” - leia o texto na íntegra ao final da reportagem.

Procurado pelo Estado para comentar a mensagem, o presidente afirmou, por meio do porta-voz, Otávio do Rêgo Barros, esperar apoio da sociedade para “reverter essa situação”. “Venho colocando todo meu esforço para governar o Brasil. Infelizmente, os desafios são inúmeros e a mudança na forma de governar não agrada àqueles grupos que no passado se beneficiavam das relações pouco republicanas. Quero contar com a sociedade para juntos revertermos essa situação e colocarmos o País de volta ao trilho do futuro promissor”, disse Bolsonaro, em nota, sem detalhar a quais grupos se referia.

Mais tarde, em entrevista no Palácio do Planalto, o porta-voz afirmou que a intenção do presidente foi apenas compartilhar uma mensagem recebida, que está “em consonância com o pensamento dele”. O autor do texto é o analista da Comissão de Valores Mobiliários, Paulo Portinho.

A avaliação de auxiliares do presidente é a de que, ao convocar a sociedade para uma solução, Bolsonaro tenta manter ativas suas redes de apoio, após manifestações contrárias ao governo tomarem as ruas do País. Como resposta, aliados de Bolsonaro planejam uma marcha em apoio a ele, no dia 26.

O tom do texto compartilhado por Bolsonaro em grupos de WhatsApp também vai ao encontro do discurso adotado nos últimos dias por aliados de que há uma conspiração para “derrubar o capitão”, como escreveu nesta semana o vereador Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente, em sua conta no Twitter.

Carlos Bolsonaro, vereador carioca (PSC-RJ) Foto: Dida Sampaio/Estadão
O próprio Bolsonaro, ao comentar o contingenciamento de verba para educação, em visita aos Estados Unidos, disse que opositores querem tirá-lo da Presidência. “Quem decide corte não sou eu. Ou querem que eu responda a um processo de impeachment no ano que vem por ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal?”, perguntou.

O movimento também coincide com o avanço das investigações contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho mais velho do presidente. Flávio teve o sigilo bancário e fiscal quebrado pelo Tribunal de Justiça do Rio. Na quinta-feira, o presidente disse entender que ele e seu governo são os alvos dos investigadores.

Interlocutores de Bolsonaro ouvidos pelo Estado afirmaram não saber quantas pessoas receberam a mensagem, mas relataram que ele próprio pediu para que cada um replicasse o conteúdo. Ao compartilhar o texto, escreveu: “Um texto no mínimo interessante. Para quem se preocupa em se antecipar aos fatos, sua leitura é obrigatória. Em Juiz de Fora (6/set/2018), tive um sentimento e avisei meus seguranças: Essa é a última vez que me exporei junto ao povo. O Sistema vai me matar. Com o texto abaixo cada um de vocês pode tirar suas próprias conclusões.”

‘O Brasil precisa de moderação’, diz líder do DEM

Sob reserva, parlamentares criticaram o que consideraram intenção do presidente de expor a classe política “como corrupta” para se fortalecer, o que foi mal visto no Congresso. “O Brasil está precisando de moderação”, disse o líder do DEM, Elmar Nascimento (BA).

Aliados do presidente, porém, elogiaram a manifestação. “O texto é um grito de alerta para toda a população quando diz que, do jeito que são as coisas, nunca a vontade daqueles que votam será respeitada. Bolsonaro foi transparente e verdadeiro. Este é o sentimento”, disse o senador Major Olímpio (SP), líder do PSL na Casa.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se esquivou de comentar. “Pergunta pra ele”, respondeu Maia ao ser questionado pelo Estadão/Broadcast se saberia quem está pressionando o presidente. Em discurso no Rio, sem citar o texto publicado por Bolsonaro, Maia afirmou que a polarização política e o uso das redes estão levando a contestações ao modelo de democracia representativa liberal em vários países. /COLABORARAM MARIANA HAUBERT, RAFAEL MORAES MOURA, DENISE LUNA e VINICIUS NEDER - O Estado de S.Paulo

Leia a íntegra do texto, da forma como o presidente compartilhou em grupos de WhatsApp:

TEXTO APAVORANTE - LEITURA OBRIGATÓRIA

Alexandre Szn

Temos muito para agradecer a Bolsonaro.

Bastaram 5 meses de um governo atípico, "sem jeito" com o congresso e de comunicação amadora para nos mostrar que o Brasil nunca foi, e talvez nunca será, governado de acordo com o interesse dos eleitores. Sejam eles de esquerda ou de direita.

Desde a tal compra de votos para a reeleição, os conchavos para a privatização, o mensalão, o petrolão e o tal "presidencialismo de coalizão", o Brasil é governado exclusivamente para atender aos interesses de corporações com acesso privilegiado ao orçamento público.

Não só políticos, mas servidores-sindicalistas, sindicalistas de toga e grupos empresariais bem posicionados nas teias de poder. Os verdadeiros donos do orçamento. As lagostas do STF e os espumantes com quatro prêmios internacionais são só a face gourmet do nosso absolutismo orçamentário.

Todos nós sabíamos disso, mas queríamos acreditar que era só um efeito de determinado governo corrupto ou cooptado. Na próxima eleição, tudo poderia mudar. Infelizmente não era isso, não era pontual. Bolsonaro provou que o Brasil, fora desses conchavos, é ingovernável.

Descobrimos que não existe nenhum compromisso de campanha que pode ser cumprido sem que as corporações deem suas bênçãos. Sempre a contragosto.

Nem uma simples redução do número de ministérios pode ser feita. Corremos o risco de uma MP caducar e o Brasil ser OBRIGADO a ter 29 ministérios e voltar para a estrutura do Temer.

Isso é do interesse de quem? Qual é o propósito de o congresso ter que aprovar a estrutura do executivo, que é exclusivamente do interesse operacional deste último, além de ser promessa de campanha?

Querem, na verdade, é manter nichos de controle sobre o orçamento para indicar os ministros que vão permitir sangrar estes recursos para objetivos não republicanos. Historinha com mais de 500 anos por aqui.

Que poder, de fato, tem o presidente do Brasil? Até o momento, como todas as suas ações foram ou serão questionadas no congresso e na justiça, apostaria que o presidente não serve para NADA, exceto para organizar o governo no interesse das corporações. Fora isso, não governa.

Se não negocia com o congresso, é amador e não sabe fazer política. Se negocia, sucumbiu à velha política. O que resta, se 100% dos caminhos estão errados na visão dos "ana(lfabe)listas políticos"?

A continuar tudo como está, as corporações vão comandar o governo Bolsonaro na marra e aprovar o mínimo para que o Brasil não quebre, apenas para continuarem mantendo seus privilégios.

O moribundo-Brasil será mantido vivo por aparelhos para que os privilegiados continuem mamando. É fato inegável. Está assim há 519 anos, morto, mas procriando. Foi assim, provavelmente continuará assim.

Antes de Bolsonaro vivíamos em um cativeiro, sequestrados pelas corporações, mas tínhamos a falsa impressão de que nossos representantes eleitos tinham efetivo poder de apresentar suas agendas.

Era falso, FHC foi reeleito prometendo segurar o dólar e soltou-o 2 meses depois, Lula foi eleito criticando a política de FHC e nomeou um presidente do Bank Boston, fez reforma da previdência e aumentou os juros, Dilma foi eleita criticando o neoliberalismo e indicou Joaquim Levy. Tudo para manter o cadáver procriando por múltiplos de 4 anos.

Agora, como a agenda de Bolsonaro não é do interesse de praticamente NENHUMA corporação (pelo jeito nem dos militares), o sequestro fica mais evidente e o cárcere começa a se mostrar sufocante.

Na hipótese mais provável, o governo será desidratado até morrer de inanição, com vitória para as corporações. Que sempre venceram. Daremos adeus Moro, Mansueto e Guedes. Estão atrapalhando as corporações, não terão lugar por muito tempo.

Na pior hipótese ficamos ingovernáveis e os agentes econômicos, internos e externos, desistem do Brasil. Teremos um orçamento destruído, aumentando o desemprego, a inflação e com calotes generalizados. Perfeitamente plausível. Claramente possível.

A hipótese nuclear é uma ruptura institucional irreversível, com desfecho imprevisível. É o Brasil sendo zerado, sem direito para ninguém e sem dinheiro para nada. Não se sabe como será reconstruído. Não é impossível, basta olhar para a Argentina e para a Venezuela. A economia destes países não é funcional. Podemos chegar lá, está longe de ser impossível.

Agradeçamos a Bolsonaro, pois em menos de 5 meses provou de forma inequívoca que o Brasil só é governável se atender o interesse das corporações. Nunca será governável para atender ao interesse dos eleitores. Quaisquer eleitores. Tenho certeza que esquerdistas não votaram em Dilma para Joaquim Levy ser indicado ministro. Foi o que aconteceu, pois precisavam manter o cadáver Brasil procriando. Sem controle do orçamento, as corporações morrem.

O Brasil está disfuncional. Como nunca antes. Bolsonaro não é culpado pela disfuncionalidade, pois não destruiu nada, aliás, até agora não fez nada de fato, não aprovou nada, só tentou e fracassou. Ele é só um óculos com grau certo, para vermos que o rei sempre esteve nu, e é horroroso.

Infelizmente o diagnóstico racional é claro: "Sell".

Autor desconhecido

sábado, 18 de maio de 2019

Hipertensão atinge 24,7% dos moradores de capitais brasileiras

Imagem de Arquivo/Agência Brasil
Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2018) mostrou que a hipertensão atinge 24,7% dos moradores das capitais do Brasil. Do grupo de entrevistados, 60,9% de pessoas com mais de 65 anos disseram ser hipertensas. É o grupo mais significativo. Entre os entrevistados com idades entre 45 e 54 anos, 49,5% afirmaram ter hipertensão. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (17), no Dia Mundial da Hipertensão. O Vigitel 2018 entrevistou 52.395 pessoas nas capitais brasileiras.

Além disso, a pesquisa mostra que a doença, também conhecida como “pressão alta”, atinge mais pessoas no Rio de Janeiro, Maceió, João Pessoa e Vitória. Já São Luís, Porto Velho, Palmas e Boa Vista são as capitais com menor incidência de hipertensão entre seus habitantes.

Dados preliminares do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde mostram que, em 2017, o Brasil registrou 141.878 mortes devido a hipertensão ou a causas relacionadas a ela. Isso significa que 388,7 pessoas morreram a cada dia. Segundo o ministério, grande parte dessas mortes é evitável e 37% dessas mortes são precoces, ou seja, em pessoas com menos de 70 anos de idade.

O sal de cozinha é um dos maiores vilões da pressão alta. Isso porque o seu principal componente é o sódio, presente também em alimentos industrializados. Dados do ministério revelam ainda que, embora 90% dos homens e 70% das mulheres consumam mais sal do que o máximo recomendado, 85,1% dos brasileiros adultos consideram seu consumo de sal adequado.

Prevenção e diagnóstico

Para o combate à hipertensão, o ministério recomenda a adoção de um estilo de vida saudável desde a infância até a terceira idade e a realização dos exames de saúde pelo menos uma vez no ano. A prática de exercícios físicos é outro hábito recomendado pela pasta.

Tratamento

Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece medicamentos para hipertensão em unidades básicas de saúde e em cerca de 31 mil unidades farmacêuticas credenciadas ao programa Farmácia Popular.

Para retirar os remédios, é preciso apresentar um documento de identidade com foto, CPF e receita médica dentro do prazo de validade (120 dias). A receita pode ser emitida por um profissional da rede pública ou de hospitais e clínicas privadas.

(Agência Brasil)

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Noventa cidades do Ceará dependem mais do Bolsa Família que a média

Nesta semana, o ministro Paulo Guedes afirmou que pagamentos poderiam cessar em setembro caso Congresso não aprovasse crédito suplementar. Se medida ocorresse, arrecadação e nível de consumo seriam afetados primeiro

Economia na maior parte das cidades que recebem o benefício ainda é baseada na agricultura
Foto: Cid Barbosa
Quase a metade dos municípios cearenses está entre os mais dependentes do Programa Bolsa Família (PBF) em relação ao restante do Estado. São 90 cidades que recebem valores acima da média estadual, que é de R$ 187,13 por família, em abril deste ano. De acordo com o Ministério da Cidadania, o Governo Federal desembolsou cerca de R$ 200 milhões no mês passado para mais de um milhão de famílias cadastradas no Programa no Ceará. Nesta semana, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que os pagamentos do PBF podem parar em setembro caso o Congresso não aprove o projeto de crédito suplementar de R$ 248 bilhões que o Governo necessita.

Caso ocorra a suspensão, muitas cidades do interior do Ceará sentirão os efeitos negativos dos cortes. O primeiro impacto será na arrecadação dos municípios e na redução do consumo das famílias. Segundo o professor Vitor Hugo Miro, coordenador do Laboratório de Estudos da Pobreza da UFC, a pobreza também deve aumentar nestas cidades.
"Para muitas famílias, o Bolsa Família constitui a principal fonte de recursos para o consumo. Então, haveria aumento da pobreza e redução de consumo. Isso se daria em municípios menores com economia de base rural. A arrecadação tributária é muito dependente dessa transferência de renda. Com uma provável suspensão, o comércio declina", explica.
Segundo ele, a longo prazo, o efeito negativo se daria no aumento das desigualdades sociais. "O impacto posterior seria muito grande sobre a desigualdade. A gente estaria retornando a crescer a desigualdade de distribuição de renda no Brasil. Aqui no Nordeste, que é a região reconhecidamente mais pobre do País, a gente teria esse impacto negativo", avalia.

Na opinião de Miro, a suspensão dos recursos é improvável. "Eu acho que, em última instância, o Governo deixaria chegar numa situação de suspender o Programa. A gente teria que enfrentar uma situação fiscal muito complicada para suspender o Bolsa Família. O Governo teria diversas alternativas na hora de ranquear prioridades".

Ele diz ainda que há fortes evidências de quanto o Programa ajudou a reduzir a pobreza e a desigualdade. "Uma família para receber os recursos tem que manter a criança na escola, tem que manter a criança assistida por programas de saúde. Se um programa desse é suspenso e você corta os incentivos, você consegue ter um efeito muito perverso a longo prazo. O Bolsa Família tem toda a importância de retirar essas famílias da pobreza hoje e gerar um esforço para retirar as famílias da pobreza no futuro porque se essas crianças tiverem acesso à saúde e educação, você espera que elas não permaneçam na pobreza", enfatiza.

Dependência

Para o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Economia Rural da Universidade Federal do Ceará (UFC), Francisco Tabosa, o valor médio do benefício seria um indicativo de que o município é mais dependente ou não do Bolsa Família em relação ao valor médio do Estado.

Além disso, o repasse para o Ceará teve aumento de quase 8%, passando de R$ 185 milhões em abril de 2018 para quase R$ 200 milhões em igual período de 2019.

"Nos últimos anos, essa dependência aumentou por dois fatores. O excesso de período de estiagem de 2010 a 2017. Isso afetou muito o meio rural onde programas de transferência de renda e aposentadoria rural serviram de muita importância para a sobrevivência das famílias".

O outro fator é a crise econômica que aflige muitas famílias do interior. "Você teve um aumento considerável no número de desempregados e o Bolsa Família passou a ser um fator preponderante em relação a isso. Naqueles municípios que são mais vulneráveis, qualquer acréscimo de renda nas famílias tem um impacto extremamente positivo. Quanto maior for o número de pessoas na família, maior é o repasse desse valor e maior é a dependência do município".
Entre os 30 municípios mais dependentes, sete estão na região Norte: Chaval, Umirim, Moraújo, Acaraú, General Sampaio, Santana do Acaraú e Senador Sá.
Itatira, no Sertão Central, registrou a maior média do valor do benefício por família, de R$ 276,13. Segundo o Ministério, a cidade recebeu em abril R$ 1.096.808 por meio do Programa, quantia repassada a 3.972 famílias beneficiadas. O levantamento levou em consideração o valor médio dos benefícios pagos para as famílias de cada cidade cearense. Normalmente, os municípios maiores têm mais beneficiários e refletem um gasto total mais elevado. É o caso, por exemplo, de Fortaleza, Caucaia e Itapipoca. As três cidades são as que mais receberam recursos do Programa no mês passado.

Para a Capital, foi desembolsado mais de R$ 37 milhões para pouco mais de 210 mil famílias, com um valor médio do benefício de R$ 176,86. Já Caucaia, na Região Metropolitana, e Itapipoca, na Região Norte, receberam R$ 5 milhões e R$ 4,1 milhões do Governo.


Fonte: Diário do Nordeste

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Deputado Irapuan Pinheiro terá recadastramento biométrico no período de 08 de julho a 23 de agosto


O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) estão realizando em 2019 mais uma etapa do recadastramento biométrico. De acordo com o cronograma, o município de Deputado Irapuan Pinheiro, na região do Sertão Central cearense, a atualização será feita no período de 08 de julho a 23 de agosto. 

O recadastramento biométrico em Dep. Irapuan Pinheiro, acontecerá no Fórum local, onde pouco mais de 7 mil eleitores passarão pelo cadastro.

O recadastramento biométrico é obrigatório para todos os eleitores, inclusive para aqueles que têm o voto facultativo (entre 16 e 18 anos e os com mais de 70 anos que possuem título de eleitor). Quem não regularizar a situação, além de não poder votar, não poderá se inscrever em concurso ou prova para cargo ou função pública, ficará impedido de obter passaporte ou carteira de identidade; entre outros.

Documentação necessária (originais):

Documento de identificação oficial com foto
Registro Geral (RG) e Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
E certidão de nascimento ou de casamento.

Flávio Bolsonaro comprou 19 imóveis por R$ 9 mi, diz MP ao pedir quebra de sigilo

Na solicitação, procuradores apontaram que as operações contêm indícios de lavagem de dinheiro; lucro dos bens foi maior que rendimentos como deputado

O senador Flávio Bolsonaro (Foto/Reprodução)
Ao pedir à Justiça a quebra do sigilo bancário e fiscal de 95 pessoas e empresas relacionadas ao senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), no dia 15 de abril, o Ministério Público do Rio de Janeiro apontou indícios de que o parlamentar tenha utilizado a compra e venda de imóveis no Rio de Janeiro para lavar dinheiro. As informações são da VEJA

Segundo os promotores, entre 2010 e 2017, o então deputado estadual lucrou 3,089 milhões de reais em transações imobiliárias em que há “suspeitas de subfaturamento nas compras e superfaturamento nas vendas”. No período, ele investiu 9,425 milhões de reais na compra de dezenove imóveis, entre salas e apartamentos. Faturou mais no mercado imobiliário do que como deputado.

VEJA teve acesso às 87 páginas do documento que embasou o pedido de quebra de sigilo autorizado pelo juiz da 27ª Vara Criminal do Rio. Ali, o MP afirma que a suposta fraude pode ter ocorrido para “simular ganhos de capital fictícios” que encobririam “o enriquecimento ilícito decorrente dos desvios de recursos” da Assembleia Legislativa fluminense.

Os promotores citam casos em que teria havido uma valorização excessiva de imóveis comprados pelo filho Zero Um do presidente Jair Bolsonaro. Em 27 de novembro de 2012, por exemplo, ele adquiriu, por 140 000 reais, um apartamento na Avenida Prado Junior, em Copacabana, Zona Sul carioca. Quinze meses depois, em fevereiro de 2014, vendeu o imóvel por 550 000 reais. Lucro: 292%.

Segundo o MP, de acordo com o índice Fipezap, utilizado no mercado imobiliário, a valorização de imóveis no bairro ficou em 11% neste período. Também em novembro de 2012, Flávio arrematou outro imóvel em Copacabana, na Rua Barata Ribeiro, desta vez por 170 000 reais. Um ano mais tarde, vendeu por 573 000 reais. Lucro: 237% – nesses doze meses que separam compra e venda, o índice de valorização na área não passou de 9%.

Na medida cautelar, os promotores apontam que os valores declarados para a compra foram inferiores aos do mercado; e, os da venda, superiores. De acordo com os promotores, os dois imóveis de Copacabana foram vendidos com a intermediação do americano Glenn Howard Dillard. Uma das transações deu confusão. O proprietário do apartamento na Prado Junior, o também americano Charles Eldering, acusou Dillard de não lhe ter repassado o dinheiro obtido com a venda.

(Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro/Imagem/Reprodução)
(Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro/Imagem/Reprodução)
(Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro/Imagem/Reprodução)

O MP ainda levantou dúvidas sobre a transação envolvendo um apartamento em Laranjeiras, na Zona Sul da cidade. O relatório aponta uma supervalorização do imóvel em apenas oito meses e questiona a história contada por Flávio de que teria recebido em dinheiro vivo 100 000 reais da venda do imóvel, que disse ter passado adiante por um total de 2,4 milhões de reais.

A versão de Flávio é de que, como recebeu este dinheiro em espécie, fez assim o depósito no banco. O MP frisa que, entre dezembro de 2008 e setembro de 2010, Flávio adquiriu dez salas comerciais na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, por 2,662 milhões de reais. Em outubro de 2010, todos os imóveis foram vendidos para a empresa MCA Exportação e Participações por 3,167 milhões de reais.

Os promotores ressaltam que o comprador tem, entre os sócios, a Listel S.A., sediada no Panamá, conhecido paraíso fiscal. Os autores do documento citam que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) considera como “sérios indícios” de lavagem de dinheiro “a realização de operações imobiliárias envolvendo pessoas jurídicas cujos sócios mantenham domicílio em países com tributação favorecida”.

Na ação, o MP afirma ter encontrado elementos que indicam a prática, no gabinete do então deputado, dos crimes de  peculato (apropriação, por funcionário público, de bens alheios), lavagem de dinheiro e organização criminosa. Procurado por VEJA, o senador reenviou, às 19h45, por meio de sua assessoria, a nota que divulgara quando houve a notícia de quebra de seu sigilo bancário, de segunda-feira 13. Ele acusou o MP de ter quebrado seu sigilo antes mesmo da autorização judicial. “Somente agora, em maio de 2019 – quase um ano e meio depois – tentam uma manobra para esquentar informações ilícitas, que já possuem há vários meses”, disse.

No texto, afirmou que nada fez de errado e que não conseguirão usá-lo “para atingir o governo de Jair Bolsonaro”. Às 20h57, a assessoria do senador mandou a VEJA uma nova nota afirmando que os valores citados pelo MP são “absolutamente falsos e não chegam nem perto dos valores reais.” A seguir, a íntegra da nota:

NOTA OFICIAL

Não são verdadeiras as informações vazadas na revista VEJA acerca de meu patrimônio. Continuo sendo vítima de seguidos e constantes vazamentos de informações contidas em processo que está em segredo de justiça. Os valores informados são absolutamente falsos e não chegam nem perto dos valores reais. Sempre declarei todo meu patrimônio à Receita Federal e tudo é compatível com a minha renda. Tenho meu passado limpo e jamais cometi qualquer irregularidade em minha vida. Tudo será provado em momento oportuno dentro do processo legal. Apenas lamento que algumas autoridades do Rio continuem a vazar ilegalmente à imprensa  informações sigilosas  querendo conduzir o tema publicamente pela  imprensa e não dentro dos autos.

Senador Flavio Bolsonaro 

Mourão diz que governo não soube comunicar bloqueio no orçamento

Para vice-presidente, houve exploração política em manifestações nesta quarta-feira, 15.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quarta-feira (15) que o governo não soube comunicar os bloqueios orçamentários feitos em várias áreas, em especial na educação. Por causa do contingenciamento na área, milhares de manifestantes, principalmente estudantes e professores universitários, saíram às ruas de todo o país para protestar contra a medida.

"Nós, governo, não soubemos comunicar isso. Ficou o tempo todo colocado como corte, aquele número cabalístico de 30%, quando todos os ministérios que têm um grande número de gastos e um orçamento elevado, eles sofreram um bloqueio consistente", disse Mourão. Segundo ele, a frustração de receitas, causadas pela queda na arrecadação, determina que haja uma contenção orçamentária, que poderá ser desbloqueada no fim do ano.

"Isso é contingenciamento, o que acontece. Eu tenho que me programar, selecionar quais são minhas despesas principais, colocar minha prioridade naquilo ali e retardar minhas despesas secundárias para o segundo semestre do ano, ou até o último trimestre, quando normalmente esses recursos são desbloqueados", acrescentou.

Exploração política

Estudantes e professores de institutos federais e universidades fazem manifestação
 na Avenida Presidente Vargas em protesto contra o bloqueio de verbas da educação
(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Para o vice-presidente, as manifestações estão dentro da normalidade, mas houve exploração política contra o governo, já que, segundo ele, o contingenciamento orçamentário ocorre todo ano e nem sempre há protestos.

"Em outros anos não houve manifestações dessa natureza. É óbvio que houve uma exploração política na manifestação de hoje, para aproveitar como protesto ao nosso governo", observou.

Ele ainda comentou o tamanho dos atos no país, que ocorreram na maioria das capitais. "O tamanho dos protestos são normais pela arregimentação das organizações que fizeram esse protesto têm condições de mobilizar. Não vejo nada demais, tá dentro da normalidade", afirmou.  

MEC

O Ministério da Educação (MEC) garante que o bloqueio de recursos se deve a restrições orçamentárias impostas a toda a administração pública federal em função da atual crise financeira e da baixa arrecadação dos cofres públicos. O bloqueio de 30% dos recursos, inicialmente anunciado pelo MEC, diz respeito às despesas discricionárias das universidades federais, ou seja, aquelas não obrigatórias. Se considerado o orçamento total dessas instituições (R$ 49,6 bilhões), o percentual bloqueado é de 3,4%.

O MEC afirma também que do total previsto para as universidades federais (R$ 49,6 bilhões), 85,34% (ou R$ 42,3 bilhões) são despesas obrigatórias com pessoal (pagamento de salários para professores e demais servidores, bem como benefícios para inativos e pensionistas) e não podem ser contingenciadas.

De acordo com o ministério, 13,83% (ou R$ 6,9 bilhões) são despesas discricionárias e 0,83% (R$ 0,4 bilhão) diz respeito àquelas despesas para cumprimento de emendas parlamentares impositivas – já contingenciadas anteriormente pelo governo federal.

(Agência Brasil)

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Ceará será beneficado com a construção de novas cisternas no interior

Programa nacional inicia construção de novos equipamentos para auxiliar no abastecimento de água do interior cearense

Escolas cearenses são beneficiadas com novas cisternas (Foto: Reprodução)
O estado do Ceará será contemplado com o reforço nacional de R$ 108 milhões destinado ao Programa Cisternas para a construção de pouco mais de 5 mil reservatórios de água em escolas rurais e propriedades de agricultores familiares do Semiárido do Nordeste e parte do norte de Minas Gerais.

Ao todo, deverão ser instaladas 5.286 cisternas, beneficiando mais de 530 mil crianças e adolescentes de 1.262 municípios do Maranhão, do Piauí, do Ceará, do Rio Grande do Norte, da Paraíba, de Pernambuco, de Alagoas, de Sergipe, da Bahia e de Minas Gerais.

Segundo o ministro da Cidadania, Osmar Terra, o aporte deve universalizar o acesso à água potável nas escolas e garantir cidadania plena às famílias. “É um recurso que está retornando para quem mais precisa. A água é a base para que o ser humano possa se manter vivo e produzir alimentos. Isso vai garantir qualidade de vida às crianças e aos adolescentes das escolas do Semiárido”, avalia.

De acordo com o secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra, os recursos são fundamentais para aliviar o sofrimento das famílias vítimas da escassez de água na região. “É um programa de fornecimento de água para beber e produção no Semiárido brasileiro”.

Cisternas – No total, o programa já entregou mais de 1,3 milhão de cisternas à maioria dos estados do Semiárido. São unidades que captam a água da chuva e a armazenam para o consumo ou até mesmo para a produção de alimentos e criação de pequenos animais.

Veja quadro abaixo com os dados consolidados até abril de 2019:

Cisternas para consumo
Estado / Cisternas
Alagoas 49.198
Bahia 297.621
Ceará 250.586
Minas Gerais 65.330
Paraíba 111.031
Pernambuco 156.966
Piauí 68.026
Rio Grande do Norte 79.367
Sergipe 22.180
Maranhão 1.162
Total 1.101.467

Cisternas para produção
Estado / Cisternas
Alagoas 12.635
Bahia 68.295
Ceará 30.796
Minas Gerais 13.160
Paraíba 12.769
Pernambuco 36.591
Piauí 12.043
Rio Grande do Norte 13.656
Sergipe 3.130
Maranhão 766
Total 203.841

Cisternas nas Escolas
Estado / Cisternas
Alagoas 506
Bahia 1.408
Ceará 963
Minas Gerais 426
Paraíba 917
Pernambuco 1.063
Piauí 460
Rio Grande do Norte 465
Sergipe 230
Maranhão 298
Total 6.736

Do Ceará Agora

Sem crédito suplementar, pagamento do Bolsa Família para em setembro, diz Guedes

Governo terá pagamentos travados sem a aprovação de crédito suplementar


O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que, se o Congresso Nacional não aprovar o projeto de crédito suplementar de R$ 248 bilhões, necessário para cumprir a regra de ouro, travará os pagamentos do governo. De acordo com o ministro, sem o crédito, os pagamentos de subsídios param em junho, de benefícios assistenciais em agosto e, do Bolsa Família, em setembro. "Tenho que apostar que o Congresso vai aprovar o crédito suplementar", completou ele, durante audiência da Comissão Mista de Orçamento (CMO). 

Guedes reforçou a necessidade de aprovação da reforma da Previdência e disse que o crescimento desses gastos pode impedir a tentativa do governo de "salvar o País". "Pode não dar tempo", afirmou. 

Ele ponderou ainda que, como ministro da Economia, "manda muito pouco" e que não é ele quem decide onde são feitos cortes orçamentários, já que o presidente Jair Bolsonaro indica as prioridades do governo. "As pessoas acham que eu tenho muito mais poder do que eu tenho. O poder está em quem vai sancionar leis", concluiu. 

Imposto sobre dividendos

O ministro da Economia afirmou ainda que há outros temas que precisam ser endereçados no contexto econômico como, por exemplo a tributação em cima de dividendos, mas que a reforma da Previdência é mais urgente neste momento. "Não vou cuidar do imposto em dividendos agora porque daí a Previdência já explodiu. É preciso desarmar essa bomba", disse.

Conforme Guedes, uma eventual mudança em impostos tem impacto somente no ano seguinte e, por causa disso, pode ser tratada depois. 

Ele garantiu, contudo, que irá tratar desse tema, mas que começou a endereçar o descontrole dos gastos pelo lado que acha "mais certo".

"Se aumentar os impostos agora, posso destruir os poucos investimentos que temos. É preciso agir com muito cuidado. Vamos olhar isso também (tributação de dividendos), apagar o problema de excesso de desonerações", enfatizou Guedes.

Privatizações

Questionado sobre o momento de fazer privatizações no governo de Jair Bolsonaro, o ministro da Economia afirmou que é um movimento para fazer "ontem, anteontem". Ponderou, entretanto, que há uma "coisa com mais urgência", referindo-se à reforma da Previdência. 

"Não posso nem pensar em correr para vender empresas estatais. Salim (Mattar) está correndo, conversando com bancos, mapeando potencial, conversando com dentro dos próprios ministérios", explicou Guedes, referindo-se ao secretário Especial de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar.

Fonte: Diário do Nordeste

Definidas datas e os confrontos das oitavas de final da Copa Libertadores da América 2019


Estão definidos os confrontos das oitavas de final da Libertadores. O Inter e, que decidirá a vaga no Beira-Rio, enfrentará o Nacional-URU, e o Grêmio duelará com o Libertad-PAR, primeiro na Arena e depois em Assunção. Do mesmo lado da chave, a dupla Gre-Nal só poderá se enfrentar se ambos os clubes chegarem à semifinal.

O sorteio aconteceu na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai. Os confrontos envolvendo os outros times brasileiros são: River Plate-ARG x Cruzeiro, Godoy Cruz-ARG x Palmeiras, Emelec-ECU x Flamengo e Athletico-PR x Boca Juniors.

O Inter, invicto na competição, foi o primeiro colocado do Grupo A e terminou com a terceira melhor campanha. Já o Grêmio se classificou em segundo lugar do Grupo H.

Confira os confrontos:

River Plate-ARG x Cruzeiro
San Lorenzo-ARG x Cerro Porteño-PAR
LDU-EQU x Olimpia-PAR
Athletico-PR x Boca Juniors-ARG

Godoy Cruz-ARG x Palmeiras
Grêmio x Libertad-PAR
Emelec-EQU x Flamengo
Nacional-URU x Inter

Veja o chaveamento:

Bolsonaro diz que manifestantes contra cortes na educação são idiotas úteis e massa de manobra

Nos EUA, presidente afirma que alunos são militantes usados como instrumento político de "espertalhões"


Ao chegar aos Estados Unidos nesta quarta-feira (15) Jair Bolsonaro afirmou que as manifestações que estão ocorrendo no país em defesa de recursos para a educação são feitas por “idiotas úteis”, classificados pelo presidente como “militantes” e “massa de manobra”. As informações são da Folha de S.Paulo

Indagado sobre os protestos que acontecem nas capitais e grandes cidades do Brasil, o presidente disse que os alunos que estão nas ruas “não sabem nem a fórmula da água” e servem de instrumento político para “uma minoria espertalhona que compõe o núcleo das universidades federais”.

“É natural [que haja protesto], agora a maioria ali é militante, não tem nada na cabeça, se perguntar 7x8 pra ele, não sabe. Se você perguntar a fórmula da água, não sabe, não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis, que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais no Brasil“, afirmou o presidente na porta do hotel onde está hospedado em Dallas. 

Cercado de apoiadores, que gritavam “mito” enquanto concedia uma entrevista coletiva a jornalistas, Bolsonaro primeiro afirmou que não existe corte na educação para, em seguida, dizer que por causa da crise econômica e da arrecadação baixa foi preciso fazer o contingenciamento. 

“Na verdade não existe corte, o que houve é um problema que a gente pegou o Brasil destruído economicamente também, com baixa nas arrecadações, afetando a previsão de quem fez o orçamento e, se não tiver esse contingenciamento, simplesmente entro contra a lei de responsabilidade fiscal. Então não tem jeito, tem que contingenciar”, declarou. 

Os protestos (acompanhe aqui o minuto a minuto dos atos) são uma resposta à decisão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que reduziu o orçamento das universidades federais e bloqueou bolsas de pesquisa. 

O presidente disse ainda que não gostaria de fazer nenhum contigenciamento, em especial na educação, mas afirmou que o setor está “deixando muito a desejar”. 

“Gostaria que nada fosse contigenciado, em especial na educação. A educação também está deixando muito a desejar no Brasil. Se você pega as provas, que acontecem de três em três anos, está cada vez mais ladeira abaixo. A garotada, com 15 anos de idade, na nona série, 70% não sabe uma regra de três simples. Qual o futuro destas pessoas?”. 

Na avaliação do presidente, a alta taxa de desemprego no país —cerca de 14 milhões de desempregados— vem da baixa qualificação dos trabalhadores. Bolsonaro afirmou que durante os governos do PT não havia preocupação com a educação. 

terça-feira, 14 de maio de 2019

Governo do Ceará vai investir mais R$ 20 milhões para reforma de escolas

Fotos: Nívia Uchôa e Marcos Studart
O Governo do Ceará investirá R$ 20 milhões para melhorar a estrutura de escolas da rede pública de ensino em todo o Estado. A ação foi anunciada pelo governador Camilo Santana nesta terça-feira (14), durante bate-papo com a população através de seus perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram). Camilo destacou o compromisso da gestão estadual em garantir os investimentos para que o Ceará continue avançando nos índices de Educação, mesmo diante do cenário de crise atravessado pelo Brasil.

“Informo que já autorizei o investimento para reforma de escolas, priorizando aquelas que estão mais necessitadas. Eu sei que não tem sido um ano fácil para a Educação no país, mas deixo o meu compromisso de melhorar a realidade de sala de aula dos alunos. Nós sabemos que ter um local bonito, de boa estrutura, ajuda e estimula o jovem no aprendizado, assim como também estimula os professores no ensino. É fundamental ter escolas estruturadas e de qualidade”, avaliou o governador.


O chefe do Executivo lembrou que o Governo do Ceará inaugurou e ainda irá inaugurar dezenas de escolas pelos municípios cearenses, incluindo novas escolas de Ensino Médio e escolas de Ensino Profissionalizante. Atualmente, o Ceará tem 72 escolas em construção em todo o estado, sendo 24 profissionalizantes e 48 de Ensino Médio.

No início do ano, o Governo anunciou que a rede pública estadual passa a ofertar a jornada prolongada para 35% das unidades escolares do Estado em 2019: das 727 escolas estaduais, 252 serão de tempo integral. Deste total, 130 são Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTIs) e 122 são Escolas Estaduais de Educação Profissional (EEEPs).

Também foi recordado por Camilo que o Ceará, em 2018, seguiu na liderança de investimentos públicos no Brasil, atingindo 15,20% da Receita Corrente Líquida (RCL), cumprindo todas as metas estabelecidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Mantemos o Estado do Ceará equilibrado, firme e assegurando investimentos. Não podemos fugir dessa linha”, reforçou.

Perguntas e respostas

O anúncio de investimentos nas escolas feitos pelo governador contemplou parte dos questionamentos feitos pela população durante o bate-papo ao vivo. Durante a interação, Sandra Linhares mandou mensagem apresentando a necessidade de uma reforma na Escola Estadual de Ensino Médio Antonio Custódio, no município de Flecheirinha. “Vou sim me comprometer que, em minha ida a Flecheirinha vou visitar a escola. E já vou encaminhar a demanda necessária para contemplar a unidade”, respondeu Camilo.

Do Cariri, Ivone Nunes perguntou ao governador quais ações o Governo do Ceará prepara para o combate ao alto índice desemprego visto em todo o país. Em resposta, o governador lembrou que o Estado trabalha constantemente para atrair investidores e parceiros que fomentem o desenvolvimento econômico cearense.


“Essa tem sido a minha grande luta. As minhas viagens para fora do Brasil têm sido para trazer investidores para o Ceará. Anunciei recentemente, por exemplo, o investimento do Grupo Votorantim (R$ 200 milhões para ampliação de fábrica no Pecém). Também teve toda a minha luta de trazer o hub aéreo, investimento de empresas holandesas, chinesas, tudo para trazer novas oportunidades aos cearenses. O Ceará foi o estado que mais gerou empregos de carteira assinada do Norte-Nordeste brasileiro. Essa tem sido uma das nossas prioridades, mesmo na situação tão difícil atravessada pelo Brasil”, assegurou.

Diante de perguntas sobre investimento em serviço público e realização de concursos, Camilo Santana lembrou que o Ceará foi, em 2018, o estado brasileiro que mais contratou e o que mais aumentou gastos com servidores públicos. “Quando estou investindo em servidor, estou investindo na qualidade de serviço para a população. Aumentamos mais de 12% o gasto de pessoal. Isso mostra o meu compromisso de investir, qualificar, dar melhorias salariais, muitas vezes corrigindo distorções, fazendo concursos, aumentando a média salarial, novo plano de cargos para Polícia Civil, enfim, muitas ações. Neste momento, preciso ter muita responsabilidade e muita cautela, para seguir investindo com responsabilidade”.

Raimundo Silva, de Canindé, perguntou quais foram os investimentos do Governo do Ceará voltados ao município. Camilo listou entre os principais a inauguração de escolas, a implantação de equipe do Raio e sistema de videomonitoramento para melhoria da Segurança Pública, entrega de unidades habitacionais, inauguração de Centro de Educação Infantil, instalação de poços profundos, asfaltos, além da obra em curso no corredor turístico religioso.

Agenda

No final do ao vivo, o governador divulgou a sua agenda para esta semana, focada em eventos na Grande Fortaleza. Nesta quarta-feira (15), Camilo estará no Bairro Floresta para a entrega, juntamente com a Prefeitura de Fortaleza, de mais uma areninha, às 18 horas. Na próxima sexta-feira (17), o chefe do Executivo participará da entrega de 1.600 certificados do Centro de Inclusão Tecnológica e Social (Cits), às 17 horas, na Messejana, e da inauguração da Praça Mais Infância no Aquiraz, às 19 horas. Para a segunda-feira (20), às 17 horas, o governador entrega mais uma Praça Mais Infância, em Maranguape. A agenda está sujeita a alterações.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Governo do Estado do Ceará

Irmã Dulce será canonizada após ter seu segundo milagre reconhecido

O segundo milagre atribuído a ela ainda não foi divulgado pela Igreja Católica

Canonização ocorre 27 anos após a morte da beata Irmã Dulce
(Foto: Divulgação/Osid)
Irmã Dulce será a primeira mulher brasileira a ser canonizada a partir de um decreto assinado pelo Papa Francisco nessa segunda-feira, 13. Segundo o site Vaticano News, que atualiza fiéis sobre as notícias oficiais da Igreja Católica, a beata baiana será proclamada santa em uma cerimônia ainda sem data para acontecer. Irmã Dulce Lopes Pontes morreu em 22 de maio de 1992 e é lembrada pelos trabalhos de caridade e ajuda aos pobres de Salvador.

A religiosa teve o primeiro milagre reconhecido em outubro de 2010. E em 2011 foi beatificada. De acordo com a Igreja Católica, Irmã Dulce ajudou a cessar uma hemorragia em uma mulher após um parto com complicações, em Sergipe. Depois de três cirurgias sem sucesso, os médicos não conseguiram estancar o sangue. Irmã Dulce teria feito o estancamento sem a ajuda da ciência. O segundo milagre atribuído a ela ainda não foi divulgado.

Com a canonização, Irmã Dulce se tornará a primeira santa brasileira. Frei Galvão, nascido em 1739 é o primeiro homem brasileiro a ser canonizado pela Igreja Católica. Ele foi reconhecido pelas pílulas milagrosas que tinham poder de cura. Para se tornar santo, devem ser comprovados por uma equipe de peritos a sobrenaturalidade de dois feitos do religioso.

DO O POVO ONLINE

Por unanimidade, Sexta Turma do STJ decide soltar Temer e coronel Lima

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta terça-feira (14), por unanimidade, conceder uma liminar (decisão provisória) para que o ex-presidente Michel Temer seja solto. Ele está preso preventivamente desde 9 de maio em São Paulo, no âmbito da Operação Lava Jato.

A decisão vale também para o coronel João Baptista Lima, amigo do ex-presidente que é apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como operador financeiro de Temer. Ambos devem ser soltos após comunicação às autoridades competentes.

Os ministros do STJ determinaram ainda que, após a soltura, Temer e Lima não podem mudar de endereço, ter contato com outras pessoas físicas ou jurídicas investigadas ou deixar o país, além de ter de entregar seus passaportes à Justiça, caso já não o tenham feito. O ex-presidente ainda ficou proibido de exercer cargos políticos ou de direção partidária.

No julgamento desta terça, prevaleceu o entendimento do relator do habeas corpus de Temer no STJ, ministro Antônio Saldanha Palheiros, para quem o decreto original de prisão foi incapaz de apontar algum ato delitivo recente que justificasse a prisão preventiva do ex-presidente.

No momento, Temer está preso no Comando de Policiamento de Choque (CPChoque) da Polícia Militar, na região da Luz, centro da cidade de São Paulo. O coronel Lima encontra-se custodiado em um presídio militar.

(Agência Brasil)

Na véspera de 1ª greve, Bolsonaro recua de corte de orçamento no MEC

Bolsonaro e Abraham Weintraub, segundo ministro da educação do governo
Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress
Na véspera do que se desenha como a primeira grande greve do seu governo, com manifestações agendadas para amanhã em universidades e escolas de 26 estados e do Distrito Federal, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) determinou hoje que não haja mais cortes orçamentários no Ministério da Educação (MEC). 

A ordem foi passada por telefone ao ministro da pasta, Abraham Weintraub, nesta tarde. Líderes de quatro siglas reunidas com o presidente no Palácio do Planalto presenciaram o telefonema e confirmaram a informação ao UOL

A decisão também foi confirmada à reportagem pelo líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO). "O presidente ligou para o ministro na nossa frente e pediu para rever. O ministro tentou contra-argumentar, mas não tem conversa", afirmou Waldir. O deputado afirmou que não haverá redução em outras pastas para compensar o dinheiro que não será mais retirado da Educação. 

Ainda não se sabe como será feito o anúncio do recuo. Há três possibilidades aventadas: 
  • um anúncio de Bolsonaro nas redes sociais 
  • que o ministro Weintraub fale no plenário da Câmara amanhã 
  • que o Ministério da Educação convoque uma entrevista coletiva
O MEC não havia se manifestado sobre o assunto até o fechamento deste texto. 

*Colaborou Ana Carla Bermúdez, do UOL, em São Paulo